15 maio 2009



Não existe amor minúsculo,
principalmente
quando se trata de
amor-próprio...
(Mário Quintana)

6 comentários:

Cris Vieira disse...

Todas essas frases são demais, adorei, principalmente as duas últimas. As fotos tb perfeitas.
bj

Paulo Tamburro disse...

Mario Quintana, um belo começo Carla Fabiane.

Aliás, que nome lindíssimo: Carla Fabiane.
Cabe como nome de qualquer personagem de uma grande estória de amor.

Quisera,ter a capacidade para um dia escrevê-la.

Você , através do Mario Quintana passou uma verdade que está muito interligada, à importância que nós costumamos dar, àquilo que os outros pensam que, nós somos.

Aí, no amor, na vida ou no relacionamento ficamos menores do que normalmente somos.Estamos sempre rebocados pelas avaliações de terceiros.

Ninguém nos conhece, mais e melhor do que nós mesmos.

Só que é necessários termos consciência consciência disto.

Fazermos semre uma justa avaliação daquilo que é melhor, ou pior dentro de nós.Assim é que crescemos.

Muito mais do crescer,permite que façamos o que o filósofo Niestche sugeria: "Se não pudermos iluminar o mundo como um sol, acendamos pelo menos um fósforo."

E este amor próprio a que você se refere ,é o sol da nossa consciência, e jamais realmente ,devemos nos subjugar existencialmente, seguindo o ponto de vista de terceiros.

Denise disse...

Minusculos,diminutivos e metades....nunca satisfazem nem a si mesmos.

que sejamos INTEIROS sempre......

Meu carinho inteiro pra você

De

Vitor Oliveira Jorge disse...

olá
conhece o meu blogue?
http://trans-ferir.bogspot.com
Boa tarde!
Vitor O. Jorge

CARLA FABIANE... disse...

AMIGOS...
BOM DOMINGO PARA VCS!
BJS...

Blog do Óbvio disse...

Esse gaúcho, Mário Quintana, é demais. Você foi muito bem na colocação da postagem e no seu layout/decoração. Parabéns. Beijos. Manoel.