08 março 2010

A mulher deve ser lentamente decifrada, como o enigma que é: encanto a encanto... Coelho Neto


Não se nasce mulher: torna-se.

O coração de uma mulher
É a experiência das possibilidades
Infinitas, é a ponte entre os universos
Paralelos, é o elo entre a perfeição e
A delicadeza.
O coração de uma mulher
É um mito sagrado em céu e tempo,
É uma borboleta em desmedida alegria,
É uma gota de orvalho acariciando a
Minha poesia.


Sou o aqui
E o momento
Que solidifica o
Ar e aprende a
Amar.

Sou o instante
E as surpresas.
Sou a janela aberta
Para a terna delicadeza.

Sou a que foi anistiada,
A mulher encantada
Pelo eterno (re)começo
Da vida quando um dia
Ela já foi despedida.

Sou o grito da lua,
O pranto do mar,
Sou o ritmo das águas,
Sou a definição que
O prazer me dá.

K.B

2 comentários:

Lumena disse...

Olá,

Agradeço ter seguido o blog Amoralya.blogspot.com. Neste momento está inactivo.
Volte novamente para o novo blog: "lumynart.blogspot.com".

Breve voltarei.

Grata.

Abraços,
Lumena

ROBERTA CARRILHO disse...

Simplesmente adorei este texto ... Fantastic!!!

Roberta Carrilho