26 novembro 2009

Poema Transitório...



(...) é preciso partir
é preciso chegar
é preciso partir é preciso chegar...

Ah, como esta vida é urgente!

... no entanto
eu gostava mesmo era de partir...
e - até hoje - quando acaso embarco
para alguma parte
acomodo-me no meu lugar
fecho os olhos e sonho:
viajar, viajar
mas para parte nenhuma...

Viajar indefinidamente...

Como uma nave espacial perdida entre as estrelas.

Mário Quintana

5 comentários:

Braulio Pereira disse...

voa voa...
vejo o teu voar..
o céu a sorrir..
e a sentir o teu.
cantar...


beijos paixao..

Rosan disse...

Penso que Mário Quintana, sabia bem o que falava, porque nós viajamos indefinidamente de uma vida a outra... sem saber ainda quando estaremos maduros para poder parar de viajar...
beijo

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Quem sou eu para me comparar a Quintana,mas essas viagens de que ele fala são as minhas preferidas!!

Bela escolha!Gosto requintado!

Todo o meu carinho!

Sonia Regina.

Debor@h disse...

Ai como eu tb queria viajar indefinitamente para qualquer lugar, sem pensar em nada, nem no hoje nem no amanhã e apenas viver. Bjs carinhosos

Poetas Prosaicos disse...

Percorri todo o blog e gostei muito da estética e das suas postagens e poemas.