14 abril 2009

RENATO RUSSO, CONTINUA VIVO...

MEU ADORADO POETA!



BIOGRAFIA

Renato Manfredini Júnior




Nasceu no Rio de Janeiro em 27 de março de 1960, filho do economista Renato Manfredini, funcionário do Banco do Brasil e de Dona Maria do Carmo, professora de inglês.
Ele aprendeu inglês desde pequeno, quando morou, dos 7 aos 10 anos, em Nova York.

Nova transferêcia do pai levou o menino, já com 13 anos, a Brasília que tanto marcou sua música.
Renato teve uma infância e adolescência de classe média alta, típica do pessoa
l das bandas de Brasília.
Entre os 15 e os 17 anos enfrentou várias operações e viveu entre a cama e a cadeira de rodas, combatendo uma doença óssea rara chamada epifisiólise.




Em 78, inspirado pelo Sex Pistols, Renato formou o Aborto Elétrico, que no vai e vem de integrantes, contou com participações de Fê e Flavio Lemos (depois do Capital Inicial), Ico Ouro Preto e André Pretorius.
Em 82 abandonou o Aborto Elétrico e passou a fazer trabalhos solos.

Neste período ficou conhecido como "O Trovador Solitário".
Quando a lendária "cena de Brasília" já era uma força underground reconhecida, Renato Russo formou a Legião Urbana com Marcelo Bonfá, Eduardo Paraná e Paulo Paulista.
Um ano depois, Paraná e Paulista deixavam a banda e entrava Dado Villa-Lobos.




Quando Renato Rocha se juntou a banda em 84, a Legião Urbana já havia se apresentado diversas vezes em Brasília, notadamente nos célebres shows no Circo Voador, no Rio de Janeiro e no Napalm, em São Paulo.
O sucesso de seus shows levou rapidamente a um contrato com a EMI-Odeon.
No primeiro dia do ano seguinte saiu o primeiro álbum, Legião Urb
ana, que emplacou os hits "Geração Coca-Cola", "Ainda é Cedo" e "Será".



Com seus refrões poderosos e letras que falavam de inseguranças emocionais e do niilismo da geração crescida durante o regime militar, a Legião Urbana bateu fundo nos anseios dos jovens brasileiros.
A receita foi aperfeiçoada no álbum seguinte, dois, melhor tocado, melhor gravado e mais elaborado.
Sucessos como "Eduardo e Mônica" e "Quase Sem Querer" falavam uma língua que qualquer jovem urbano brasileiro dos anos 80 podia entender e se identificar.




Dois consolidou Renato Russo como um dos maiores popstars do país.
Já na turnê desse segundo disco, começou a aparecer o Renato Russo estrela: seus shows incluíam discursos pregadores (o adjetivo "messiânico" aparecia em nove entre dez matérias sobre o grupo) e um alto consumo de drogas e álcool.




Em 1987 sai terceiro álbum, Que País É Este, gerando hits como "Faroeste Caboclo", e mais uma turnê nacional abarrotada.
Em 89, sai As Quatro Estações que inaugura a fase mais madura da banda, tanto no som, menos pop, como nas letras, abordando assuntos como AIDS e homossexualismo.
Em "Meninos e Meninas", Renato sugere bissexualidade.



Logo depois, numa história entrevista à revista Bizz, Renato confirmava o fato.
V, lançado em 91, veio carregado de uma tristeza que refletia a instabilidade emocional-psicológica vivida por Renato.
A turnê que se seguiu teve que ser interrompida devido ao seu precário estado de saúde.




O Descobrimento do Brasil, de 93, acabou sendo o último disco da banda
(A Tempestade, é um disco solo de Renato com participações de Da
do e Bonfá).
A partir de Descobrimento, Renato deu vazão a seus projetos solo e lançou The Stonewall Celebration Concert e Equilíbrio Distante.





O primeiro, cantado em inglês, foi homenagem ao grande amor de sua vida que morreu de overdose.
Renato faz então seu disco mais militante ao som o orgulho de ser gay, ao som de covers da Broadway e Madonna.
Stonewall é o nome de um bar nova-iorquino onde, num célebre acontecimento em 69, gays se rebelaram contra a ação política.
Equilíbrio Distante traz Renato interpretando canções de música italiana, uma das manias recentes do cantor.





Renato era HIV positivo desde 1990, mas nunca assumiu publicamente a doença. Desde a época de "Descobrimento do Brasil", Renato andava recluso e arredio e evitava a imprensa.
As suspeitas se comprovaram em 11 de outubro de 1996 com sua morte por broncopneumopatia, septicemia e infecção urinária - consequências da AIDS -, pesando só 45 quilos.



(1960 — 1996)

RENATO RUSSO VIVE, NÃO SÓ NAS CANÇÕES...
VIVE PELOS SEUS IDEAIS.
ELE QUERIA MUITO MAIS DO QUE CANTAR NAS RÁDIOS, TER FAMA, FAZER SUCESSO.

UM TROVADOR SOLITÁRIO.



O INÉDITO RENATO RUSSO...


Onze anos depois da morte do compositor e intérprete Renato Russo em um álbum com suas músicas será lançado.
O trabalho foi montado a partir de uma fita que sua irmã, Carmem Tereza, tinha guardada em casa.
Nas lojas em meados deste mês de julho, O Trovador Solitário dá continuidade à exumação da obra de Renato Russo (1960 — 1996) e revela gravações inéditas registradas pelo artista em fitas cassetes, digitalizadas e editadas pelo produtor Marcelo Fróes por seu selo Discobertas, com aval da família do cantor.

Com 11 faixas, o álbum apresenta registros de aura lendária, muito comentados, mas pouco ouvidos.

As gravações foram feitas em Brasília (DF), em 1982, em fase solitária do trovador.

Para apreciar estas gravações de alto valor documental, é preciso entender o contexto em que foram feitas: entre a saída de seu primeiro grupo, Aborto Elétrico, e a formação da Legião Urbana, Renato Russo encarnou a figura do Trovador Solitário.
Sob essa alcunha, o cantor se apresentava sozinho em bares de Brasília com sua voz, seu violão e as canções que ainda iriam virar hits nacionais.

RENATO era espécie de Bob Dylan do Cerrado, fazendo som folk.

O repertório do Trovador Solitário misturava adaptações acústicas do cancioneiro punk do Aborto Elétrico com músicas até então inéditas que seriam gravadas pela futura Legião Urbana.

Das músicas reunidas no álbum, Veraneio Vascaína e Anúncio de Refrigerante nunca ganharam registros oficiais de Russo.

Eram temas do Aborto Elétrico que acabaram em discos feitos pelo Capital Inicial em 1986 e 2005, respectivamente.
Para fãs de Renato Russo, O Trovador Solitário oferece também a oportunidade de ouvir as versões iniciais de músicas como Eu Sei (que então se chamava 18 e 21, Geração Coca-Cola, Eduardo e Mônica e Faroeste Caboclo — além da demo de Que País É Este?), editada como faixa-bônus ao lado de cover de Summertime feito em dueto com a cantora Cida Moreira.

Elas flagram o artista em fase de transição.
Foi nesse período que Russo começou a burilar suas letras.
Em 1984, a fita com tais versões caiu nas mãos do diretor da gravadora EMI-Odeon e abriu as portas da indústria do disco para a Legião Urbana.
O resto é História...

4 comentários:

YullyAngel. disse...

renato russo era um grande artista...
Ficou eternizado!
=]

CARLA FABIANE... disse...

PARA SEMPRE EM MEU CORAÇÃO!
BJS

Pelos caminhos da vida. disse...

Saudoso Renato Russo.

Obrigada pela sua visita,seu carinho.
Volte mais vezes.

Tem selinhos la pra vc.

beijooo.

Rômulo disse...

Grande perda para o Brasil. Em época de emos e funks extremos, o que será de nós? haha